Conheçam Meus Livros

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Quem Não Tem Sanduíche de Presunto, Enche a Pança de Panquecas...


Dos episódios perdidos de Chaves ressuscitados pelo SBT em 2011, nenhum me fez rir tanto quanto Panquecas Pra Dentro, Barriga Pra Fora. O que fiquei me perguntando é por que o deixaram escondido por tanto tempo?

O começo do episódio é parecido com “Amarelinhas e Balões”: as crianças desenharam os quadrados da amarelinha no chão do pátio, bem em frente à casa do Kiko, e Chaves, como sempre, não gosta de perder a vez para Chiquinha, chutando a bolinha de papel que ela usa para marcar o quadrado que deve pular para longe, exatamente como jogadores de futebol aborrecidos de vez em quando chutam bolas para fora do campo por não ganharem o arremesso lateral para o seu time. Então Chiquinha vai para casa aborrecida, pois não gosta de brincar com trapaceiros.
Mas Chaves não dá a mínima para isso, e continua jogando e trapaceando – a si mesmo agora –, empurrando o trapinho que ele arremessou errado para dentro do quadrado.
Ao ver o amigo no pátio através da janela de sua casa, Kiko se aproxima, e lhe oferece um sanduíche de presunto. Tudo bem que já vimos essa cena diversas vezes:

Mas desta vez há uma diferença: Kiko sai de casa com dois pratos contendo um pão cortado ao meio em cada um. A princípio, Chaves desconfia das boas intenções de seu amigo, mas Kiko explica que ainda não terminou de preparar os sanduíches. Ele deixa os pratos no chão do pátio sob a supervisão do amigo esfomeado, e volta para casa para buscar o presunto e o restante do recheio. E conforme o vai montando, Chaves aproveita os momentos em que ele entra em casa para buscar mais ingredientes para engordar seu sanduíche, emagrecendo o recheio de Kiko. E até parece que ele realmente vai se dar bem dessa vez, e comer seu adorado sanduíche de presunto. Mas vocês conhecem bem o Kiko, não é?
Ele termina de montar os lanches e pede que Chaves espere enquanto ele leva a louça suja para casa. E o pior é que o Chaves fica esperando, tentando roubar até a pitada de sal do sanduíche de Kiko. E quando o bochechudo volta o que acontece?

Perguntinha: por que o Chaves não pegou seu sanduíche e deu no pé quando teve chance? Ou ainda: por que o Kiko não trouxe os sanduíches prontos, se tinha intenção de dividir? Porque fazer sanduíche no meio do pátio é super normal... E eu estou falando do de presunto! Veja bem...
Então o Chaves fica lá, ressentido, lamentando o recheio afanado, encarando o pão vazio com desgosto, e quando Chiquinha aparece, ele é orgulhoso – ou lesado – demais para admitir que tentou enrolar o Kiko, e acabou que foi o bochechudo quem lhe passou a perna, preferindo dizer que comeu o recheio do sanduíche e não estava com fome suficiente para comer o pão também.

Daí, enquanto Chaves chuta o ar, aborrecido por ter ficado sem nada, ele acaba chutando também a perna do Seu Madruga, que veio estender uma camisa no varal, e o pai da Chiquinha reclama porque Chaves não vai brincar de amarelinha no outro pátio, onde não atrapalha ninguém – exceto os vizinhos que lá vivem.

Seu Madruga tenta ensinar uma lição ao menino sobre se colocar no seu lugar, e parar de dar apelidos às pessoas, e Chaves lhe conta que outro dia estava num ônibus – o garoto não tem dinheiro para comprar comida, mas andou pegando ônibus... Melhor ignorar esse detalhe –, quando subiu a Dona Clotilde do 71, e ele ia se levantar para lhe dar o lugar, mas de repente, quando ela ia sentar, ele se sentou rapidamente no mesmo lugar.

E é quando Seu Madruga começa a sentir cheiro de queimado no ar.


E dessa vez ele não está falando do cachorrinho Satanás. Por sorte, a megera chega antes que o Seu Madruga precise arrombar a porta, e bem a tempo de ver o Chaves ter um piripaque.


É, vamos disfarçar, abafar o caso, antes que ela dê uma vassourada em algum membro do elenco. Enquanto isso, o que já estava queimando vai torrar.
Acontece que a Bruxa largou o recheio das panquecas no fogo, e saiu para comprar mais patas de aranha na venda da esquina. Francamente, Dona Clotilde! Essa bruxa confeiteira já devia saber que não se deve sair de casa deixando panelas no fogo. Por menos que você tenha a intenção de demorar, vai que você pega fila no caixa da venda, ou que encontre uma vizinha com quem fofocar, ou um garoto com piripaque para desparalisar, ou um perna de saracura para paquerar...
Enquanto Seu Madruga apaga o fogo da Bruxa... Digo, da panela da Bruxa, Kiko aparece para jogar água no piripaque do Chaves, e descobrir o que o assustou dessa vez.


Daí o Kiko dá uma espiadinha dentro da casa da Bruxa e chega a duas conclusões: a primeira é que Chaves tem razão, e há realmente mais alguém conversando com ela. E a segunda é que o diabo é a cara do seu Madruga.
Aí danou-se, né? Porque se o coitado do pai da Chiquinha já apanha feito um condenado da Dona Florinda só por botar a fuça pra fora de casa na hora errada, avalia com o bochechudo esgoelando que o cidadão quer levá-lo pro inferno.


Bem, agora que o caso foi esclarecido, e cada um já deu e tomou as pancadas correspondentes, Madruga fica com a panela para descartar o molho queimado. E enquanto ele procura o melhor ralo para jogá-lo fora, Chaves o examina bem de perto para se certificar de que realmente não é amigo da filha do diabo.


O barato no Kiko é que ele não fica escondido dentro do armário. Ele é um burrinho assumido e com muito orgulho.
E juntos, os dois meninos constatam que realmente Seu Madruga não é o diabo, numa das cenas mais hilárias do episódio – embora seja um grande clichê da série.


Nunca entendi que necessidade era essa da Dona Florinda sempre trazer para o pátio as panelas em que estivesse cozinhando. Será que era medo da gororoba queimar enquanto ela distribuía tabefes pela vizinhança?
Nesse caso, que sorte dessa galera que a casa da Bruxa cheirasse a queimado. Quer dizer... Nesse episódio, não tiveram tanta sorte assim...
E agora, vejam só que situação extraordinária: a dor une as pessoas. Depois de ambos terem suas mãos queimadas pelas panelas fumegantes, e de a Bruxa do 71 ter aparecido para socorrer o coitado do Seu Madruga – que devia ter jogado a panela longe, se usasse um pouquinho o cérebro, em vez de ficar queimando as patas... Digo, as mãos –, Kiko e Seu Madruga dividem o muro das lamentações e choram as patas queimadas.


Bem, mas depois de ter suas mãos curadas com a pomada da fralda que alguém trocou de qualquer criança da vizinhança, Kiko já está feliz e disposto a subornar novamente o Chaves com comida para que o deixe participar do jogo de amarelinha.


Então eles tentam reiniciar a brincadeira, mas Chaves fica interrompendo de instante em instante, querendo saber o que vai ganhar, ameaçando Kiko caso tente enganá-lo novamente, porque ele conhece muito bem aquele bochechudo mau caráter, que já está aborrecendo com suas trapaças... Até que o Kiko perde as estribeiras por Chaves ficar embaçando o jogo.


Resolver essa questão seria tão complicado quanto tentar decidir quem veio primeiro: a galinha ou o ovo? O político ou a propina? Ou ainda quem é mais feio: Mick Jagger ou o Chupa Cabra?
Enfim...
Já que estão todos de acordo em deixar a competição de burrice para mais tarde, as crianças continuam brincando, e agora Chiquinha também está a fim de jogar.
E é nesse momento que Kiko quase derruba Dona Clotilde, que se atravessa no meio do caminho com uma bandeja de panquecas em sua vez de pular a amarelinha.


Sob a ameaça de virar recheio de panqueca, Kiko decide ir para casa, e deixar que os amigos se virem para se livrar da Bruxa. Acontece que a Dona Clotilde é da turminha da Bruxa do João e Maria, que gosta de dar uma engordadinha em suas vítimas antes de jantá-las, por isso ela vive preparando guloseimas para o Seu Madruga. Mas agora, em vez de um bolo ou um franguinho assado, ela preparou uma bandejona de panquecas recheadas com moela.


E na falta de guardião melhor, quem ela manda vigiar a Chiquinha, para que não coma as panquecas que ela fez para o seu adorado perna de saracura?


Quer dizer, mandou o coelho vigiar a horta!
Então o garoto aproveita o pretexto para se enfiar na casa do Seu Madruga e repartir as panquecas com a Chiquinha. Mas eles só fazem isso por amor...


E assim, eles vão enchendo a mão, até limpar toda a bandeja.
Enquanto isso, Kiko procura os amigos para continuar a brincadeira, agora que a Bruxa já pegou sua vassoura e voou do pátio. E como eles não estão em lugar nenhum, e a porta estava aberta, ele entra para procurá-los na casa da Chiquinha. E bem nesse momento, o Seu Madruga chega, e é imediatamente informado pela Bruxa do 71 sobre as panquecas que ela preparou para ele – porque aparentemente a velha fofoqueira não tem nada melhor para fazer do que ficar espiando pela janela a movimentação no pátio da vila –, e corre para garantir sua parte nas delícias, mas só encontra a bandeja vazia, e o Kiko procurando encrenca embaixo da mesa.
E aí vocês já imaginam o que aconteceu, né?


Que coisa, não? Pelo menos não deu tempo de esfriarem que nem as panquecas do boteco da Dona Florinda. E se estavam embruxadas, o que não mata, pelo visto, engorda e muito!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
E já que chegou até aqui, deixe um comentário ♥
Se tiver um blog, deixe o link para que eu possa retribuir a visita.